Foto: Adilson Rosa/Seduc-MT

Todas as Escolas Estaduais Indígenas serão contempladas com projeto do Estado

Da Redação

Os participantes do Encontro de Diretores das Escolas Estaduais Indígenas receberam uma boa notícia do secretário Adjunto Executivo da Seduc, Alan Porto. Todos os prédios das 71 escolas e mais as 271 salas anexas serão substituídas pela Escola Padrão Indígena, desenvolvida pelo governo Mauro Mendes. Trata-se de um padrão modular em forma hexagonal, adaptada conforme a necessidade da etnia e, principalmente, levando em conta sua história.

Segundo Alan Porto, a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) trabalha com um prazo de 120 dias para a finalização do projeto. A próxima etapa é fazer os ajustes complementares e partir para a implantação.

“Fizemos a apresentação de um projeto arquitetônico. Iniciamos com uma consulta a todas as escolas indígenas, por meio das lideranças e gestores. Fizemos um trabalho com a coordenadora de educação indígena, a Seduc e equipe técnica com engenheiros e arquitetos. O resultado foi o melhor possível”, comemora.

Conforme Alan Porto, o projeto é uma proposta flexível sustentável de qualidade e, principalmente, respeitando todas as culturas das etnias e seu histórico. Além disso, um dos destaques é a manutenção e a sustentabilidade. São estruturas metálicas, termoacústicas, resistentes e do que existe de mais moderno em termos de edificações.

Para facilitar a execução da obra, os blocos já vão preparados, com menor uso de mão-de-obra, proporcionando uma construção limpa e rápida.

O projeto é abrangente – pois atende a sede da escola e também as salas anexas. “Temos casos de uma sala anexa com uma turma, mas também com duas, quatro, seis e até oito salas.  Em algumas escolas, atendemos a mais de 400 alunos. Por isso, a praticidade de construir a quantidade conforme a necessidade”, assinala.

Em Mato Grosso, a rede estadual de ensino conta com cerca de 12 mil alunos indígenas matriculados.

Dificuldades

Alan Porto ressalta que uma das maiores dificuldades em relação aos prédios escolares indígenas é o desgaste do imóvel, já que não se investe em manutenção preventiva ou corretiva.

“Temos a distância também, como obstáculo, pois existem aldeias localizadas a mais de 300 quilômetros, com acesso de estrada de chão e via transporte fluvial. Por isso, estamos trabalhando de forma diferenciada. O governador Mauro Mendes e o vice, Otaviano Piveta, fizeram uma parceria com os municípios para garantir qualidade e rapidez na execução”, diz.

A apresentação do projeto ocorreu nesta terça-feira (18) no período matutino e contou com a colaboração do assessor especial Adão Brizola. Ao final do dia, todos assinaram uma ata reforçando o compromisso da Seduc de respeitar os prazos.

Fonte: Assessoria


O que achou desta matéria? Dê sua nota!:

0 votes, 0 avg. rating

Deixe um comentário