Foto: Reprodução

Processo de revalidação de diplomas médicos da UFMT deverá ser concluído no próximo mês

Da Redação

O senador Carlos Fávaro (PSD-MT) reuniu o governador Mauro Mendes (DEM) e o reitor da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Evandro Soares, na tarde desta segunda-feira (27) para buscar soluções para a conclusão do processo de revalidação de diplomas médicos de profissionais formados no exterior. Também participaram o deputado federal Neri Geller e o deputado estadual Nininho.

“Por uma recomendação muito forte da bancada federal, liderada pelo senador Carlos Fávaro e deputado Neri Geller, nós consolidamos e iremos fazer neste mês ade agosto, finalmente, a prova do Revalida em Mato Grosso”, destacou o secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho.

Enquanto Mato Grosso e todo o país enfrentam dificuldades na contratação de médicos em meio às altas demandas decorrentes da pandemia provocada pelo novo coronavírus, aproximadamente mil profissionais aguardam apenas a realização da última prova do processo realizado pela UFMT desde 2018.

Inicialmente, a prova da quarta e última etapa estava prevista para o dia 16 de agosto mas foi suspensa em razão da pandemia. Agora, de acordo com o reitor, o exame será aplicado presencialmente, mas com o aporte de recursos e esforços do Governo de Mato Grosso e da bancada federal para a adoção das medidas de segurança sanitária, ampliando em quatro vezes o número de salas de aula necessárias para a avaliação.

“Em função, principalmente do coronavírus, ficamos impossibilitados de provas com grandes aglomerações. Para que a prova possa ser realizada, há necessidade de questões mínimas de distanciamento. Nesse intuito a universidade colocou que precisaria de quatro vezes mais salas de aula para que cada estudante ficasse distante, um do outro, em torno de dois metros, e aí precisaria de mais fiscais, recursos, máscara e espaços. Aí viemos junto com o senador Carlos Fávaro no Governo do Estado que se comprometeram a ajudar a UFMT a buscar esses recursos”, explicou o reitor.

Com o colapso no sistema de saúde de Mato Grosso, que deixou o estado com a capacidade máxima de leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) ocupada por cerca de um mês, ficando impossibilitado da ampliação pela dificuldade da contratação de profissionais, Fávaro buscou, junto à UFMT, soluções para a conclusão do processo de revalidação de diplomas.

Os 927 profissionais aptos a fazer a prova já passaram por 15 avaliações práticas e teóricas e atuaram por um ano e meio nos hospitais brasileiros.

“O combate à pandemia exige a união de esforços. No Congresso Nacional estamos aprovando os projetos emergenciais e o governo federal tem liberado os recursos para estados e municípios. Agora, o que precisamos, é de recursos humanos, de médicos e profissionais da saúde dispostos a enfrentar a covid-19 onde quer que ela esteja, seja na Capital ou no interior”, ressaltou Fávaro.

Apesar do reitor não estipular um prazo para a conclusão do processo de revalidação, o Estado e bancada federal, conforme destacou Mauro Carvalho, estão cuidando de todos os detalhes para que esta prova seja realizada até o fim de agosto dentro de todas as normas de segurança sanitária.

Fonte: Assessoria


O que achou desta matéria? Dê sua nota!:

0 votes, 0 avg. rating

Deixe um comentário