Foto: Reprodução

Deputado propõe abertura de CPI do Pantanal

Da Redação

O deputado estadual Faissal Calil (PV) usou a tribuna do Plenário da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) na quarta-feira (10) para pedir a seus colegas de parlamento o apoio para a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) sobre o Pantanal. A investigação é importante, segundo ele, para apurar possíveis crimes ambientais cometidos na região, fundamental para a economia, meio ambiente e o turismo do estado.

De acordo com Faissal, o poder público não pode esperar que situações como a vivida pelos mato-grossenses em 2020 aconteçam novamente. Segundo o parlamentar, os prejuízos ambientais sofridos no último ano não podem se repetir e, para isso, uma CPI é fundamental para poder planejar ações de prevenção a incêndios ambientais e até mesmo responsabilizar os culpados por eventuais crimes cometidos.

“Temos que começar a investigar a fundo a degradação da Bacia de Chacororé e a Bacia de Sinhá Mariana, que são o coração do nosso Pantanal. Também temos que apurar sobre as queimadas, já que sofremos tanto com elas em 2020. É necessário estruturar a Defesa Civil e agir agora, estrategicamente, pois a prevenção é o melhor caminho. Não adianta, na época de seca, começar a queimar tudo e ficar aquele desespero de todos os lados. Não vamos errar novamente e acredito que essa CPI é de grande valia”, apontou.

Faissal também aproveitou a ocasião para pedir ao governo do estado a realização de um mutirão para a realização de cirurgias eletivas, paralisadas no último ano por conta da pandemia de Covid-19. O deputado enviou um ofício para a Secretaria de Estado de Saúde, pedindo providências e a retomada desta modalidade de atendimento à população.

“Nossa população está sofrendo pela falta de algumas cirurgias, como as de catarata, hérnia, vesícula e pedra nos rins, por exemplo. Todas elas foram suspensas no último ano, por conta da pandemia e até agora não foram retomadas. O governo precisa agir e trabalhar mais pela saúde do cidadão de Mato Grosso”, disse o deputado.

Na ocasião, Faissal também comunicou que enviou um requerimento pedindo informações ao Instituto de Terras de Mato Grosso (Intermat). O deputado apontou que a emissão de uma certidão no órgão demora até um ano, solicitando ainda um repasse maior para a instituição, para que ela ofereça melhores serviços ao produtor rural, atuando de forma mais eficiente.

O deputado encerrou seu discurso questionando a ausência de políticas públicas referentes à causa animal, com a total ausência, por parte do estado e dos municípios, de um controle de zoonoses, com veterinários dando suporte. Segundo o parlamentar, não há uma atitude do poder público para sanar o problema, que é cada vez mais presente nas pequenas e grandes cidades de Mato Grosso.

Fonte: ALMT


O que achou desta matéria? Dê sua nota!:

0 votes, 0 avg. rating

Deixe um comentário