Foto: Reprodução

AMM alerta prefeitos para que adotem medidas mais rígidas no combate à pandemia

Da Redação

Em função do crescimento do número de contaminação e de óbitos pela Covid-19, registrados diariamente pela Secretaria de Estado de Saúde, a Associação Mato-grossense dos Municípios, continua recomendando a todos os prefeitos e prefeitas que adotem medidas mais rígidas, levando em conta a alta taxa de ocupação de leitos de enfermaria e  de UTIs em todos as unidades hospitalares de Mato Grosso.

O presidente da AMM, Neurilan Fraga, explica que continua insistindo com os gestores municipais, que tomem medidas preventivas e de restrições. Na sua opinião, as ações judiciais, contribuem com as medidas dos prefeitos, pois acabam embasando os decretos municipais e dão mais segurança jurídica aos atos dos executivos municipais.

Fraga ressalta que os prefeitos estão muito preocupados com o avanço da pandemia, mas infelizmente, parte da população não tem contribuído. ”Em nosso entendimento, tem que haver um isolamento total em todo o Estado. Uma quarentena com medidas mais rígidas, pois neste momento, não há outro caminho, nem outra saída, a não ser adotar as medidas com maior dureza e severidade, para reduzir a circulação de pessoas, mantendo as atividades essenciais nos municípios. E se não endurecer-mos agora, poderá haver uma explosão sem precedente de casos de contaminados e mortes em todos os municípios”, alertou.

Durante a reunião por videoconferência, do comitê de enfrentamento da pandemia no Estado, realizada na última terça-feira, o presidente da AMM, relatou que foi solicitado ao governador Mauro Mendes, que promova uma campanha com o objetivo de conscientizar a população neste momento crítico que o Estado está vivendo. O governador adiantou que já está sendo formatada uma campanha publicitária com esta temática, para divulgar nos meios de comunicação, para conscientizar a sociedade sobre a pandemia.

A AMM já encaminhou por diversas vezes aos municípios, as recomendações para a adoção das medidas mais restritivas em relação ao distanciamento social, como também sanitária, e  mesmo do tratamento farmacológico, prescrito pelos médicos que estão na linha de frente nas unidades de saúde. Fraga destacou que a atual situação é preocupante devido ao crescimento acelerado de casos, da  insuficiência de leitos nas  Unidades de Terapia Intensivas, e da falta de medicamentos. “Diante deste quadro, logo muitos municípios serão classificados como de altíssimo risco”, disse ele. Se os gestores municipais não tomarem as medidas, de acordo com Decreto 522/2020 do Governo do Estado, começam as  ações judiciais, determinando o lockdown, prevista na Matriz de Risco”, alertou.

Por meio das recomendações, A AMM continua  auxiliando os prefeitos, como proceder no enfrentamento da pandemia, para garantir segurança á população. “Pedimos aos prefeitos que não vacilem, adotem medidas, com maior grau de controle, com uma fiscalização mais efetiva. É de extrema importância agora o envolvimento de outras instituições públicas e privadas nas ações, além da utilização das mídias sociais, e a divulgação das ações através da imprensa local, para a conscientização da população no combate a pandemia.

Fonte: Assessoria


O que achou desta matéria? Dê sua nota!:

0 votes, 0 avg. rating

Deixe um comentário