100 dias de governo Mauro Mendes

Eleito no 1º turno das eleições de 2018, governador Mauro Mendes (DEM), completou 100 dias de gestão nesta quarta-feira (10). O democrata começou o governo com um embate com os servidores públicos ao propor e conseguir aprovar um pacote de medidas de arrocho fiscal ainda em janeiro.

Para o presidente da Assembleia Legislativa, Eduardo Botelho (DEM), o início da gestão Mendes é positivo por conta dos 5 projetos aprovados ainda em janeiro.

“Avalio como positivo estes 100 dias. O governador mostra coragem para apresentar medidas duras que irão sanar ao longo do tempo a crise financeira do Estado”, disse Botelho.

O correligionário de Mendes ainda destaca a forma como o Palácio Paiaguás vem se relacionando com o Legislativo. “Sempre com sinceridade e diálogo e isso é fundamental para uma boa relação entre todos os poderes”.

Já o procurador-geral de justiça José Antônio Borges, destaca a transparência que Mendes vem apresentando na questão econômica. “O diferencial é está transparência com os números do Estado, mostrando a dura realidade que estamos vivendo”, afirmou.

O chefe do Ministério Público ainda aponta o constante diálogo que Mendes vem tendo nesses primeiros 3 meses de gestão: “Ele já esteve aqui no Ministério Público umas três vezes pedindo apoio nas ações que pretende tomar no diálogo para debater algumas ações. Então essa coragem de enfrentar os problemas têm causado uma boa impressão para os demais poderes”, completa.

Presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), desembargador Carlos Alberto reconheceu os esforços do governador e de sua equipe, para buscar o equilíbrio das contas do Estado: “O Poder Judiciário também está fazendo sua parte, no sentido de ampliar a qualidade dos serviços entregues à sociedade, com o menor custo possível”, lembrou o chefe do Poder judiciário.

O desembargador ainda afirma torcer que a gestão Mendes tenha êxito, “porque entendemos que os cidadãos de Mato Grosso merecem ter o retorno dos seus impostos, com serviços públicos de qualidade nas áreas de saúde, educação, segurança e infraestrutura”, comentou.

“O governador Mauro Mendes tem mantido um bom relacionamento com o Poder Judiciário. Um relacionamento institucional de parceria, mas com respeito à independência, o que contribui para a harmonia entre os Poderes”, completa.

Nestes 100 dias, Mauro Mendes começou com um forte embate com os servidores públicos, por conta do pacote de medidas que foram aprovadas em menos de 30 dias.

Uma nova Reforma administrativa, o novo Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab); a alteração de competências no âmbito do MT Prev e a lei que prevê os critérios para a concessão da Revisão Geral Anual (RGA) dos servidores públicos, foram aprovadas por ampla maioria.

Antes das votações, o chefe do Paiaguás decretou ‘estado de calamidade financeira’ em Mato Grosso, em conjunto com um decreto de corte dos gastos públicos.

Mendes também garantiu autonomia do Legislativo para extinguir as empresas públicas como a Empresa Mato-Grossense de Pesquisa e Extensão Rural (Empaer), Companhia Matogrossense de Mineração (Metamat), Mato Grosso Desenvolve, Agência Metropolitana (Agem), da Empresa Matogrossense de Tecnologia da Informação (MTI) e da Central de Abastecimento do Estado (Ceasa). Todos os estudos estão em andamento.

Já nas últimas duas semanas, Mauro Mendes conseguiu autorização dos deputados para emprestar mais de US$ 300 milhões junto ao Banco Mundial, para quitar a dívida dolarizada do Bank of America.

E na semana passada o democrata lançou um pacote com 114 obras de infraestrutura em 90 municípios do Estado. Pontes de concreto, pavimentações e recuperações de rodovias estaduais iniciarão nos próximos dias. O valor total é de R$ 580 milhões, recursos do Fethab e de financiamentos relativos ainda da gestão Silval Barbosa. (GazetaDigital)


O que achou desta matéria? Dê sua nota!:

0 votes, 0 avg. rating

Deixe um comentário